Maioria das empresas quer contratar mas há menos trabalhadores disponíveis para mudar de emprego

A maioria dos empregadores (84%) pretende recrutar em 2022, mas há menos trabalhadores qualificados disponíveis para mudar de emprego. Também a percentagem dos trabalhadores que recusaram ofertas já atingiu 44%, segundo um estudo da consultora Hays.

As conclusões integram o Guia do Mercado Laboral 2022 da consultora de recrutamento especializado Hays, feito com base nas respostas de 2.864 profissionais qualificados e 901 empregadores a inquéritos anónimos efetuados ‘online’ em outubro.

De acordo com o estudo, 84% dos empregadores pretendem recrutar trabalhadores no próximo ano, sendo esta a percentagem mais elevada desde a primeira publicação dos dados pela Hays, em 2011.

Para a consultora, este é “um claro indicador de que os empregadores planeiam implementar em pleno” os seus planos de recuperação ou de crescimento.

No entanto, do lado dos trabalhadores, a tendência é contrária, já que a percentagem de trabalhadores qualificados interessados em mudar de emprego caiu de 79% em 2021 para 74% em 2022.

Também a percentagem de trabalhadores que recusou ofertas de emprego em 2021 já atingiu os 44%, quando no ano anterior tinha registado uma redução para 38%.

Entre os principais motivos para a recusa de ofertas de emprego, estão o salário, com respostas de 52% dos inquiridos nesse sentido (contra 49% em 2020), seguido pelo facto de o projeto não ser interessante (30%), ou pelo desacordo com as condições contratuais propostas (26%).

Ao contrário do ano anterior, o receio de mudar de emprego aumentou dois pontos percentuais, tendo 9% dos profissionais referido esta questão.

Partilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
Subscreva a nossa Newsletter