CHega diz que primeira medida será renegociar contrato da recolha de resíduos sólidos em Matosinhos

A candidatura do Chega Matosinhos é clara nas medidas que tem vindo a comunicar à população nas ruas durante esta campanha: quer baixar o IMI e renegociar o contrato de Resíduos Sólidos Urbanos de Matosinhos.

Israel Pontes, candidato à Câmara de Matosinhos, e Álvaro Costa, candidato à Assembleia Municipal, prometem baixar o Imposto Municipal sobre Imóveis para o limite mínimo (0,3%), sublinhando que este é um dos impostos “mais absurdos da atualidade, a sua eliminação será sempre uma prioridade para o Partido CHEGA!, enquanto essa solução não for possível, em Matosinhos deverá ser fixado o valor mínimo”.

Os candidatos referem ainda que “uma das primeiras medidas que o CHega vai propor “será a revisão do contrato de Resíduos Sólidos e Urbanos de Matosinhos. Proceder a negociação do mesmo ou até extinguir o presente contrato com a atual empresa invocando o não cumprimento do contrato”.

Dizem os candidatos que “o concelho de Matosinhos não pode continuar a viver atolado em lixo, tal situação é completamente inaceitável, é por isso imperativo reforçar os meios para que a recolha seja eficiente”.

Na entrevista ao jornal Primeira Mão, o candidato Israel Pontes considerou que seria “interessante acabar com a maioria absoluta do Partido Socialista na Câmara” e possibilitar maior diálogo com outras forças políticas, porque “46 anos” é muito tempo.

Por outro lado, para o candidato do CHEGA é “importante” retirar o vereador comunista e “acabar com a posição comunista no executivo”, porque “não nos identificamos com as posições deles, porque se há culpa de Matosinhos estar como está é do vereador José Pedro Rodrigues, que é a muleta do PS”.

Partilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
Subscreva a nossa Newsletter