Portugal avança para 3ª fase de desconfinamento e levanta restrições a partir de 1 de outubro

Antonio Costa

 

Os espaços de diversão noturna podem reabrir a partir de 1 de outubro, a máscara é obrigatória apenas em locais de risco ou grandes concentrações e o certificado digital deixa de ser usado para aceder a restaurantes. Saiba aqui todas as medidas da terceira fase de desconfinamento.

O primeiro-ministro, António Costa, começou por recordar que o calendário apresentado quando havia 57% da população com a vacinação completa previa que em outubro haveria “o terceiro e último passo”, contando com os 85% de inoculações.

“Estamos agora em condições de avançar para a terceira fase [de desconfinamento]”, frisou, referindo que “estamos muito perto do ponto em que estávamos em março do ano passado”, ao nível da incidência e R(t) — valores ajudados pelo ritmo de vacinação.

“Verificámos que quando começámos a vacinar a população mais nova foi uma queda abrupta, convergindo com o conjunto das outras faixas etárias”, apontou Costa.

Segundo disse, neste momento, Portugal tem uma taxa de vacinação completa de 83,4% da população.

A partir de 1 de outubro entra-se numa fase que envolve “responsabilidade individual”:

    • Portugal continental passa a estar em Situação de Alerta;

    • Abertura de bares e discotecas para pessoas com certificado digital ou teste negativo;

    • Fim dos limites de horários;

    • Restaurantes sem limite máximo de pessoas por grupo;

    • Fim da exigência de certificado digital em restaurantes, estabelecimentos turísticos e alojamento local;

    • Fim do limite de lotação no comércio, casamentos e batizados e espetáculos culturais;

    • Certificado digital ou teste negativo necessário para viagens marítimas e aéreas, em visitas a lares e estabelecimentos de saúde. O mesmo é verificado para acesso a grandes eventos culturais, desportivos ou corporativos;

    • Máscara continua a ser obrigatória em transportes públicos, lares, hospitais, salas de espetáculo e eventos, grandes superfícies e locais interiores de permanência prolongada;

    • Máscaras deixam de ser obrigatórias nos recreios das escolas. A DGS irá também atualizar as normas sobre confinamento nos próximos dias;

    • A máscara também deixa de ser obrigatória no comércio local;

    • Eliminação da testagem em locais de trabalho com mais de 150 trabalhadores;

    • Fim da limitação à venda e consumo de álcool;

    • Fim da necessidade de certificado ou teste nas aulas de grupo em ginásios.

 

 

 

Partilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
Subscreva a nossa Newsletter