Candidato independente Joaquim Jorge foi conhecer o trabalho de guarda-noturno

Joaquim Jorge ouviu esta quarta-feira o guarda-nocturno Bruno Lima. O candidato independente (Matosinhos Independente) à Câmara Municipal ficou a conhecer melhor como funciona e quem paga este serviço.

No final Joaquim Jorge dá conta que “quem paga este serviço feito de noite é o comércio e os moradores. A Câmara licencia pagando-se uma licença de 3 em 3 anos. Há um regulamento jurídico para andarem fardados e em viaturas. Um guarda-noturno exerce a sua profissão no domínio público. É importante este serviço não só para proteger comércio e habitações, mas também, por zelar o património público”.
E o candidato de MI reforça: “A ideia que custa algo ao erário público é errada, não custa nada”.

Assim, sublinha a ideia de Bruno Lima de que seria bom que a “câmara divulgasse este serviço. A polícia municipal não atua entre a 1h30 e as 7h00, exceto no Tanatório e no parque de Covid. Estes foram alguns pontos que me apercebi pelo depoimento de Bruno Lima”.
O candidato conclui que esta é “uma profissão que existe há muitos anos e pode ser reativada”.

Partilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
Subscreva a nossa Newsletter