Alfredo Maia (CDU) tem estado em contacto com trabalhadores do município

Durante a campanha, a CDU visitou vários bairros e distribuiu folhetos de propaganda junto de empresas e fábricas, abordando os trabalhadores.

“A CDU continua na rua a esclarecer, a conversar e a levar as suas propostas para quem vive e trabalha na Maia”, explica o candidato à Câmara Municipal, Alfredo Maia.

Ontem, por exemplo, o candidato da CDU e a sua comitiva esteve em contacto com trabalhadores do município.

Além disso, Alfredo Maia e a candidata à Assembleia Municipal, Carla Ribeiro, percorreram Moreira e Vila Nova da Telha e ainda houve tempo para afixação de propaganda, pelas mãos dos candidatos e ativistas da CDU.

Alfredo Maia quer conquistar de novo o lugar que a CDU já teve no executivo (no mandato de 2013/17), porque considera que a visão da CDU faz muita falta à Maia.

 

Na entrevista que concedeu ao Primeira Mão dá alguns exemplos da ação de valor que a CDU poderia ter dado no executivo.

“Há exemplos muito evidentes e posso dar um muito claro: a questão da travessia à variante da EN14. Se a CDU estivesse no executivo, não teria acontecido o que aconteceu com as populações de Gondim e de Avioso, não teriam tido a necessidade de lutar, o que aconteceu com o nosso apoio, para que fosse restabelecida a comunicação entre as duas antigas freguesias com a colocação de uma passagem superior. Simplesmente, toda a gente se tinha esquecido daquilo, incluindo a Câmara.

 

O próprio regulamento de Habitação Pública foi apresentado à AM numa versão carregada de erros e até de ilegalidades. Graças à CDU, foi retirado da Ordem de Trabalhos para correção e foi novamente a consulta pública. Aqui, a CDU contribuiu com um extenso documento com propostas e sugestões àquele regulamento. Ele irá em breve novamente à Assembleia e inclui algumas, embora poucas, das nossas contribuições. Mas o certo é que o documento poderia ter sido enriquecido muito a montante. Da mesma maneira que há um conjunto de matérias que a CDU, como conhece os problemas, poderia ter intervido a montante”.

 

 

Partilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
Subscreva a nossa Newsletter