2022 chega com aumento do custo dos bens alimentares

foto de arquivo

Matérias-primas mais caras, eletricidade e gás com preços elevados, custos de combustíveis e transportes em alta e inflação a disparar, tudo junto vai fazer com que os produtos que os portugueses compram sofram aumentos no próximo ano.

Desde o pão, leite ou produtos hortícolas até à carne, as associações empresariais que representam estes setores não têm dúvidas em apontar que serão mais caros em 2022.

O índice de preços no consumidor galgou quase 1 ponto percentual face ao mês de outubro.

Na energia, já foram anunciados aumentos:

A EDP Comercial vai aumentar na ordem dos 90 cêntimos por mês.

A GALP Energia vai subir os preços em mais de 2 euros mensais.

Os portugueses que usam gás engarrafado podem esperar um encargo maior em 2022. Atualmente, uma botija de butano de 13 quilos custa cerca de 29 euros e a de 54 quilos custa 120 euros.

Também nos transportes e habitação haverá agravamentos:

O preço das portagens vão agravar no próximo ano.

As rendas vão aumentar em 2022 por causa da inflação. A subida é de 0,43%, o que resulta num aumento de 3 euros para uma família que pague 700 euros de renda mensal.

Bens alimentares terão aumentos em vários setores:

Os preços de bens alimentares também vão pesar mais nas carteiras dos portugueses. O azeite terá uma subida na ordem dos 7%.

O preço do pão vai subir entre os 2 e os 3 cêntimos.

O chumbo do Orçamento de Estado deixou em suspenso os custos de alguns bens e serviços, mas após as eleições de 30 de janeiro, será mais claro o que muda na carteira dos portugueses.

Partilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
Subscreva a nossa Newsletter