Viver Matosinhos enviou carta ao governo sobre erosão costeira a sul de Angeiras

Praia Funtão, Matosinhos

A Associação Viver Matosinhos enviou uma carta de alerta ao governo, no sentido de chamar a atenção para o problema de erosão costeira sentida a sul de Angeiras, no concelho de Matosinhos.

 

O alerta foi enviado também para entidades nacionais com competência na área ambiental como a APA – Associação Portuguesa do Ambiente, CCDR-N, entre outras, e com conhecimento da Câmara de Matosinhos.

 

Na qualidade de membro-fundador da Viver Matosinhos, Humberto Silva é o primeiro signatário desta carta de alerta para uma “situação que se faz sentir a norte do concelho de Matosinhos e que tem vindo a ser alertada desde 2019”.

 

Mais recentemente, em dezembro de 2021, o problema agravou-se, como é relatado nesta carta ao governo: “no areal da praia do Funtão – a praia imediatamente a sul de Angeiras – as paliçadas colocadas recentemente na estrutura dunar que separa a estrada da praia, foram já derrubadas pelo mar e a estrutura dunar, assim como a estrutura fixa, é agora regularmente alcançada pelo mar”.

 

Com cerca de três anos decorridos desde o início da construção do novo quebra-mar do Portinho de Angeiras, a Viver Matosinhos acredita que está assim a tornar-se visível “a erosão potenciada pela construção do quebra-mar – um impacte negativo previsto no Estudo de Impacte Ambiental – é hoje uma realidade irreversível e permanente que não se resolverá de forma espontânea”.

 

Na carta a Viver Matosinhos apela “à celeridade na sua mitigação, já que nos tempos que correm, em quadro de alterações climáticas é expectável que os fenómenos meteorológicos extremos sejam cada vez mais frequentes, inesperados e com maior violência, o que torna a preservação da nossa orla costeira, em especial dos cordões dunares, uma absoluta necessidade para a preservação da nossa costa e da nossa cidade”.

 

 

Ofício da Viver Matosinhos 

 

 

Angélica Santos

 

Partilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
Subscreva a nossa Newsletter