Trofense de Francisco Chaló venceu ao Leixões em dia do aniversário dos matosinhenses

Foto facebook de Leixões SC

 

 

O Trofense venceu este domingo um irreconhecível Leixões, por 2-1, num jogo da 12.ª jornada da Liga SABSEG disputado no Estádio do Mar, em Matosinhos.

 

No dia em que fez 114 anos, o Leixões terá feito a sua pior exibição da época e foi dominado quase totalmente por um opositor que se apresentou neste encontro com um novo treinador, Francisco Chaló (entrou no Trofense a 20 de novembro), e até começou a perder.

 

Sapara pôs os leixonenses na frente do marcador aos seis minutos na conversão de uma grade penalidade cometida sobre ele próprio e esse golo madrugador augurava uma tarde festiva para os locais, o que, porém, esteve muito longe de acontecer.

O Trofense reagiu bem à desvantagem, assumiu as rédeas do jogo e o seu ascendente traduziu-se em cinco cantos conquistados no primeiro quarto de hora, contra nenhum dos Leixões.

O empate chegou aos 21 minutos e foi o corolário lógico do caudal ofensivo produzido pelo Trofense. Num contra-ataque rápido pela esquerda, Achauri livrou-se de Calasan, rematou e acertou no poste esquerdo da baliza de Beunardeau e a bola sobrou para Gustavo França, que tocou para a baliza deserta.

Nada saía bem ao Leixões e o Trofense continuou pressionante e a criar perigo junto à baliza, deixando adivinhar que o segundo golo seria só uma questão de tempo.

Oliveira ainda assustou o guarda-redes visitante, Rodrigo, aos 41 minutos, mas esse lance foi uma exceção na pobre e desinspirada exibição dos anfitriões.

A segunda parte correu ainda pior para o Leixões, que durante grande parte do tempo mal conseguiu sair do seu meio-campo e continuou a ser presa fácil de um Trofense desenvolto nas saídas para o ataque e que não descansou enquanto não marcou o golo que lhe deu os três pontos.

Esse golo foi uma “prenda” do central Calasan, que viu o seu passe ser intercetado por um opositor e a bola seguir deste para Bruno Almeida, que, embora descaído sobre a esquerda, bateu Beunardeau com um remate rasteiro.

Muito superior ao Leixões, o Trofense mereceu ganhar porque foi, de longe, a equipa que mais fez por isso e hoje apresentou o melhor futebol.

Com este resultado, o Trofense subiu do 14.º para o 13.º posto, com 14 pontos, menos um do que Leixões, que mantém o 10.º lugar.

 

Equipas

– Leixões: Beunardeau, João Amorim (Jefferson Encada, 59), Calasan, Leo Bolgado, Nduwarugira, Luisinho, Oliveira (Thalis, 67), Ben Hassan (Yuri, 73), Morim, Sapara (Kiki, 59) e Wendel (Luan Santos, 46).

(Suplentes: Tiagop Silva, George, Coronas, Jefferson Encada, Yuri, Kiki, Gustavo França, Luan Santos e Thalis).

Treinador: José Mota

– Trofense: Rodrigo, Mutsinzi, João Paulo, Simão Martins, Tiago André, Daniel Liberal (João Faria, 90), Bruno Almeida (Andrézinho, 85), Matheus Índio, Vasco Rocha, Gustavo Furtado (Gustavo Furtado, 77), e Achouri.

(Suplentes: Rogério, Rafa Alves, Andrézinho, André Azevedo, Abel, João Faria, Caio Macedo e Keffel).

Treinador: Francisco Chaló.

Árbitro: Rui Costa (AF Porto).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Léo Bolgado (52), Achouri (90+1) e Keffel (90+4).

(Lusa)

Partilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
Subscreva a nossa Newsletter