Ranking das Escolas: estudo do Público/Católica diz que melhores secundárias públicas estão em Santo Tirso e na Maia

colégio Efanor _Foto.colegioefanor.pt

Colégio Efanor, de Matosinhos, destaca-se no ranking com o 2º lugar, num estudo efetuado pelo jornal Público e Católica Business School. As melhores escolas secundárias públicas, neste estudo, estão em Santo Tirso e na Maia.

Pela primeira vez em duas décadas de análise dos resultados dos exames nacionais do ensino secundário, as duas escolas artísticas mais conhecidas do país – António Arroio, em Lisboa, e Soares dos Reis, no Porto – ocupam os primeiros lugares de uma tabela de escolas públicas realizada pela Lusa.

Também o jornal Público publica em parceria com a Católica Porto Business School o seu estudo. De acordo com os resultados dos exames, neste estudo o Top5 é o seguinte:

1º – Colégio Nova Encosta, Paços de Ferreira -16,10

2.º – Colégio Efanor, Matosinhos -16,07

3.º – Colégio D. Diogo de Sousa, Braga -15,86

4.º – Colégio Nossa Senhora do Rosário, Porto -15,78

5.º – Academia de Música de Santa Cecília, Lisboa -15,66

De acordo com este estudo do público e Católica, no ranking apenas de escolas privadas, o colégio Efanor, Matosinhos, encontra-se também em 2º lugar a nível nacional.

Já no ranking onde entram apenas escolas públicas, a melhor aparece em 40º lugar – Escola Básica e Secundária Sommer, Leiria – sendo de destacar que a Escola Básica e Secundária Tomaz Pelayo, em Santo Tirso está na 53ª posição e a Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho, da Maia, aparece em 56º lugar; a Escola Secundária Eça de Queirós, da Póvoa de Varzim, encontra-se em 65º lugar, e a Escola Secundária da Trofa em 68º lugar.

Quando se fala em melhores resultados por disciplina, o Colégio Efanor, Matosinhos, está em 1º lugar em Biologia e Geografia e em 2º nas disciplinas de Matemática e Física/Química.

Na disciplina de História, está na 5ª posição nacional o Colégio Novo da Maia, seguido, em 6º, pela Secundária Eça de Queirós, da Póvoa de Varzim.

Região norte e Madeira com as maiores quebras de natalidade em 2021

Partilhar:
Subscreva a nossa Newsletter