Projeto “Agulhão” já recolheu mais de 300 mil seringas usadas incluindo no concelho de Matosinhos

foto greensavers.sapo.pt
Mais de 300 mil seringas e agulhas usadas foram recolhidas no âmbito de um projeto criado pela Associação de Farmácias de Portugal no final de 2019 para responder à falta de soluções para a recolha destes resíduos.
Os dados foram avançados hoje à agência Lusa pela Associação de Farmácias de Portugal (AFP), a qual explicou que o projeto Seringas só no Agulhão consiste nas farmácias disponibilizarem um contentor, onde os cidadãos podem depositar gratuitamente os resíduos utilizados.
“O projeto é desenvolvido em parceria com a empresa especializada na gestão de resíduos hospitalares, Stericycle, que faz a recolha dos contentores e o tratamento dos resíduos [incineração], respondendo assim à falta de soluções seguras e ecológicas para recolha de seringas usadas”, adianta.
Lançado em forma projeto-piloto no final de 2019, tem como objetivo dar resposta “à falta de soluções para a recolha de resíduos produzidos pelos doentes diabéticos e por todos aqueles que necessitam de medicamentos injetáveis”.
Em declarações à agência Lusa, a presidente da AFP, Manuela Pacheco, anunciou que Torres Vedras vai ser o primeiro município com cobertura a 100% da sua rede de farmácias a recolherem gratuitamente seringas/agulhas usadas pelos doentes.
Isto porque o projeto Agulhão foi um dos mais votados pelos munícipes no Orçamento Participativo. As 23 farmácias do município juntam-se assim às farmácias aderentes dos concelhos de Lisboa, Porto, Matosinhos, Vila Nova de Gaia, Gondomar, Braga e Vila Verde.
Manuela Pacheco disse estar “contente” por esta decisão, mas admitiu que podia “ficar muito mais” se o projeto fosse implementado em todo o país.
Partilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
Subscreva a nossa Newsletter