Ministra diz que já foi necessário suspender atividade não-covid em alguns casos

Ministra da Saúde diz que alivio de restrições em abril deverá avançar
Marta Temido Imagem DR

A ministra da Saúde, Marta Temido, disse ontem que já foi preciso suspender “em alguns casos” a atividade assistencial não covid-19, admitindo que tal possa voltar a ser necessário.

Questionada sobre o aumento da afluência aos serviços de urgência por parte de doentes com covid-19 e outras doenças numa altura em que os centros de saúde estão com dificuldade em responder aos doentes não-covid, a ministra reconheceu que “é muito difícil encontrar o justo equilíbrio entre tantas necessidades que concorrem umas com as outras”.

“E a circunstância de a Linha Saúde 24 estar neste momento com dificuldades pode dificultar essa gestão de fluxos e, por isso, é que estamos a introduzir medidas na Linha Saúde 24”, adiantou.

Para evitar a corrida às urgências, a ministra apelou para que as pessoas se “abstenham o mais possível” de contactos evitáveis para se protegerem e para utilizarem as medidas não farmacológicas de proteção.

“Cada caso que é evitado é menos um caso que fica em risco, que gera outros casos e que sobrecarrega o sistema de saúde”, disse.

Marta Temido recordou que no dia 26 de dezembro do ano passado, quando se atingiu um pico de casos, o contexto era muito diferente.

Partilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
Subscreva a nossa Newsletter