Maioria das pessoas em situação cardíaca grave não chama o INEM

Dois mortos em deslizamento de terra em Palmeira de Faro, Esposende

O coordenador do Programa Nacional para as Doenças Cérebro-Cardiovasculares alertou, esta quarta-feira, que a maioria dos doentes com uma situação aguda de doença cardíaca desloca-se ao hospital por meios próprios, o que “nunca deveria acontecer”.

“Há um universo de 60% [de doentes] que continuam a não chamar o INEM, que é a grande, grande arma para os doentes serem tratados adequadamente, uma vez que os encaminha para os hospitais mais adequados, através da Via Verde Coronária”, disse à agência Lusa Luís Filipe Macedo, numa altura em que se assinala o Dia Mundial do Coração.

Apesar dos sucessivos alertas para a importância de ligar para o 112 perante sintomas de enfarte agudo do miocárdio ou acidente vascular-cerebral, o coordenador do plano da Direção-Geral da Saúde disse que, “infelizmente, as pessoas, não estão tão esclarecidas como deviam estar”.

Partilhar:
Subscreva a nossa Newsletter