Greve dos técnicos de emergência pré-hospitalar pode causar complicações no atendimento do 112

Dois mortos em deslizamento de terra em Palmeira de Faro, Esposende

Os técnicos de emergência pré-hospitalar iniciaram uma greve ao trabalho suplementar, por tempo indeterminado. Exigem medidas para tornar a carreira mais atrativa, como forma de combater a taxa de 30% de abandono da profissão.

O protesto não tem data para terminar.

Apesar de a greve ser ao trabalho suplementar, o presidente do sindicato, Rui Lázaro, avisa que podem surgir complicações no atendimento das chamadas para o 112 e nos pedidos de ambulâncias.

Partilhar:
Subscreva a nossa Newsletter