Feira do Livro da Maia decorre até 12 de julho

Fotografia da autoria de Primeira Mão

Começou no passado sábado, dia 3 de julho, e decorre até dia 12 de julho, a XV Feira do Livro da Maia. Centrada na Praça do Fórum da Maia, esta iniciativa reúne mais de 40 editoras e atividades culturais num lugar funcional e atrativo, cumprindo todas as regras impostas pela pandemia.

Com algumas promoções e livros a preços simbólicos, a Feira do Livro da Maia convida todos os amantes de livros a visitarem o espaço. As vantagens? Comprar livros com orientação personalizada e conhecer novas obras para adicionar à biblioteca.

O Primeira Mão foi ao local para perceber de que forma é que esta iniciativa está a ajudar as editoras neste regresso às vendas e no momento, estava a decorrer a sessão de contos “A história da Vizinha é melhor que a Minha”, por Mariana Machado.

A Cordão de Leitura é uma editora que se centra na edição de obras de autores pouco conhecidos e foi a proprietária, Maria José Veiga, que deu o seu testemunho. Maria gosta do contacto com os clientes e por isso, para ela, estas iniciativas são muito importantes para promover uma maior proximidade entre vendedor e consumidor.

A Lema d’Origem também está presente nesta edição da Feira do Livro da Maia e segundo o proprietário, esta editora só possui uma loja online. Desta forma, as feiras “são muito importantes na questão da divulgação”, pois permitem um contacto próximo com os consumidores, dando mais visibilidade a projetos que se mantêm pelo digital.

Feira do Livro da Maia atrai mais pessoas durante o fim-de-semana

Apesar de durante a semana a Feira do Livro da Maia ainda não registar uma grande afluência de clientes, os vendedores mencionam que é ao fim de semana a altura em que se nota um maior afluxo de pessoas. Mas como quantidade não significa necessariamente qualidade, alguns vendedores aproveitam também para dar a sua opinião acerca das pessoas que têm passado pela feira. “Estou surpreendido com a cultura literária das pessoas que têm vindo ao stand”, afirmou o dono da editora Convergência e que vende essencialmente banda desenhada.

Para além de livros, também podemos encontrar outras formas de descobrir a leitura nesta feira, como por exemplo, na banca da Corpus Editora, os livros objeto. “São uma forma divertida de incentivar à leitura”, afirma o dono.

Adiada em 2020 devido à pandemia, a Feira do Livro da Maia regressou este ano, para proporcionar momentos de cultura e leitura a todos os maiatos.

Partilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
Subscreva a nossa Newsletter