Família afegã fugida do regime talibã começou a viver no Freixieiro, Matosinhos

Foto: DR

Um conjunto de famílias refugiadas afegãs foram ontem instaladas em habitações no Grande Porto, uma delas no Freixieiro, em Matosinhos.

 

A Associação de Proprietários da Urbanização de Vila D’Este, enquanto instituição de acolhimento, transportou uma família para a Maia (Castelo da Maia) e mais duas famílias do Afeganistão para habitações no Freixieiro, em Matosinhos, e Oliveira do Douro, em Vila Nova de Gaia.

Estas famílias estavam provisoriamente no Centro de Acolhimento para Refugiados Afegãos – Francisco e Jacinta Marto, em Fátima, passando agora a viver no distrito do Porto.

Ao todo foram 15 os refugiados afegãos instalados esta quinta-feira em casas do Grande Porto.

António Moreira, responsável daquela associação, explicou à Lusa que as famílias de refugiados afegãs terão “durante um ano habitação e subsistência garantida por um fundo da plataforma de apoio a refugiados e dos jesuítas”.

“Esperamos que ao fim desse ano tenham autonomia social e profissional para que se possam autonomizar”, disse, acrescentando que a família vai “frequentar o curso ‘Português para todos'” a fim de garantir as capacidades para poder vir a integrar o mercado de trabalho e obter a autonomia no prazo definido.

Na carrinha que viajou desde Fátima lotada com as malas que conseguiram trazer quando fugiram de Cabul havia “um cabaz de alimentos” para cada família. A partir de agora, “a gestão passa a ser deles”, frisou António Moreira.

 

 

Partilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
Subscreva a nossa Newsletter