Eliminação das desigualdades de género levará 132 anos ao ritmo atual

imagem: canva

O processo global em direção à paridade na economia, educação, saúde ou participação política é tão lento que, ao ritmo atual, serão necessários 132 anos para eliminar as desigualdades de género, alertou hoje o Fórum Económico Mundial.

 

 

Islândia é o primeiro classificado pelo décimo terceiro ano consecutivo, seguido desta vez pela Finlândia, Noruega, Nova Zelândia, Suécia, Ruanda e Nicarágua.

O relatório sobre as disparidades de género, que a instituição organizadora do Fórum de Davos prepara anualmente há 16 anos, indica que nos últimos 12 meses houve um ligeiro avanço face aos 136 anos calculados em 2021 o que, no entanto, não compensa os recuos ocorridos nos primeiros dois anos da pandemia de covid-19.

Região norte e Madeira com as maiores quebras de natalidade em 2021

Partilhar:
Subscreva a nossa Newsletter