Ecocentros móveis recolhem mais de 46 toneladas em 2021 nos municípios da Lipor como a Maia

Foto Lipor

Os ecocentros móveis da Lipor recolheram no ano passado 46,3 toneladas de resíduos domésticos perigosos, como pilhas e baterias, e vão continuar a circular este ano em oito municípios da Área Metropolitana do Porto (AMP).

Espinho, Gondomar, Maia, Matosinhos, Porto, Póvoa de Varzim, Valongo e Vila do Conde são os oito concelhos servidos pela Lipor.

De acordo com uma nota de imprensa da Lipor – empresa intermunicipal de gestão e valorização de resíduos urbanos do Grande Porto, esta “solução inovadora para facilitar a entrega de resíduos e materiais cujo destino não é o ecoponto” conseguiu encaminhar para reciclagem 46,3 toneladas de resíduos.

Estas unidades destinam-se à recolha de CDs e DVDs, pequenos equipamentos elétricos e eletrónicos, embalagens e latas com restos de verniz, tinta, solventes ou produtos de limpeza, lâmpadas LED e fluorescentes, papel não embalagem (jornais, revistas, livros e folhas), pilhas e baterias, tinteiros e ‘toners’ e rolhas de cortiça.

“Em 2022, os ecocentros móveis continuam a viagem” pelos oito municípios associados da Lipor, adianta a empresa, acrescentando que “os cidadãos podem informar-se sobre quando e onde estará o ecocentro móvel mais perto de si no ‘site’ da Lipor e dos respetivos municípios”.

A Lipor deixa um repto aos habitantes destes concelhos para que continuem “a contribuir para este projeto, cujo objetivo é tornar a prática de reciclagem cada vez mais acessível” e contribuir para uma economia circular.

Esta empresa intermunicipal de gestão e valorização de resíduos urbanos trata anualmente cerca de 500 mil toneladas de resíduos produzidos por um milhão de habitantes.

Partilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
Subscreva a nossa Newsletter