Autarcas da Maia e Matosinhos pedem mais ajudas para requalificar o rio Leça

Foto Marta Peneda

A Associação de Municípios Corredor do Rio Leça já inaugurou a sua sede e viu garantidos do Ministro do Ambiente as primeiras verbas para a reabilitação do rio: um pacote de 4 milhões de euros.

 

O projeto da Associação de Municípios Corredor do Rio Leça visa a despoluição e a criação de estruturas que proporcionem o usufruto das margens do rio Leça, como é exemplo o corredor verde. Juntos neste projeto, para o qual vão receber quatro milhões de euros, estão os municípios de Maia, Matosinhos, Santo Tirso e Valongo.

Os autarcas dos quatro municípios acompanharam numa visita ao corredor, em Leça do Balio, o ministro do Ambiente, a quem pediram financiamento e mais atenção política para o projeto.

Seis meses depois de ter sido criada, a associação aproveitou ainda a presença do governante para inaugurar este sábado a sua sede, no Centro Empresarial Lionesa, em Leça do Balio, Matosinhos.

Luísa Salgueiro, presidente da Câmara de Matosinhos e do conselho executivo da associação, disse ao ministro Matos Fernandes que a entidade “não tem orçamento e que tudo o que foi feito até agora no corredor do Leça resulta da boa vontade dos municípios de porem as coisas no terreno”.

A autarca destacou que a construção do corredor verde do rio Leça – “um sonho de Guilherme Pinto” (antigo presidente da Câmara, já falecido) -, em Matosinhos, com a extensão “de 18 quilómetros é um investimento de 20 milhões de euros”.

Luísa Salgueiro também aproveitou a ocasião para pedir ao ministro que não se esqueça “das linhas de metro da Senhora da Hora e S. Mamede Infesta, assim como da Maia”.

Por seu lado, o presidente da Câmara da Maia, António Silva Tiago, declarou que “esta é uma enorme oportunidade em que estamos todos empenhados, mas serão precisas mais ajudas financeiras”.

Com um pacote de 50 milhões de euros provenientes de fundos europeus para gastar até 2023 na reabilitação da rede hidrográfica de todo o país, o ministro Matos Fernandes garantiu que quatro milhões de euros serão afetos ao corredor do rio Leça.

A comitiva visitou uma das partes intervencionadas do corredor, junto ao Parque das Varas, em Leça do Balio, onde já é possível percorrer o circuito a pé.

O engenheiro do Ambiente Pedro Teiga, um dos responsáveis do projeto, referiu: “O rio aqui está doente, uma vez que ainda há descargas pontuais”.

Partilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
Subscreva a nossa Newsletter