Autarca de Matosinhos esclarece que refinaria de lítio da GALP não será no concelho

imagem: google Maps

Está fora dos planos da Galp instalar uma refinaria de lítio em Matosinhos. O “masterplan” para os terrenos da Petrogal, em Leça da Palmeira, será apresentado até ao final de junho de 2022, de acordo com o que anunciou a presidente da Câmara de Matosinhos na reunião do executivo desta terça-feira.

 

Estão excluídos da equação para a instalação de uma refinaria de lítio pela Galp os terrenos da Petrogal, em Leça da Palmeira, Matosinhos. A autarca Luísa Salgueiro informou que teve ujma reunião com o CEO da Galp, Andy Brown, que lhe terá transmitido “que a localização não é em Matosinhos”.

 

“Não disse onde era, mas que está decidido que não é em Matosinhos, até porque a Câmara não concorda com essa localização e, portanto, houve uma abordagem entre mim e a Galp no sentido de reforçar que não haverá essa instalação no nosso Município”, esclareceu Luísa Salgueiro.

 

A revelação surgiu na reunião de câmara de ontem em resposta a uma questão do vereador da CDU, José Pedro Rodrigues.

 

Fonte da Galp garantiu que a escolha do local para o projeto industrial de conversão de lítio “continua em avaliação, não existindo para já desenvolvimentos”, de acordo com notícia do JN.

 

Há cerca de duas semanas, a empresa anunciou em comunicado ter chegado a um acordo com a NorthVolt (empresa que fabrica baterias de lítio) para desenvolver “a maior e mais sustentável fábrica de conversão de lítio da Europa, que se situará em Portugal, com uma capacidade de produção anual de até 35 mil toneladas de hidróxido de lítio”.

 

O objetivo é que a unidade arranque em 2026, de acordo com a empresa, nesse documento.

Partilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
Subscreva a nossa Newsletter