Vila do Conde contraria tendência e tem mais habitantes do que em 2011

Vila do Conde contraria tendência e tem mais habitantes do que em 2011
165393909_1559925140873821_4616899145978232368_n

A Área Metropolitana do Porto perdeu 22.129 residentes na última década, sobretudo em Santo Tirso, Vale de Cambra e Arouca.

De acordo com os resultados preliminares do Instituto Nacional de Estatística (INE), os 17 municípios têm 1.737.395 residentes, face aos 1.759.524 (menos 1,3%), registados em 2011, com 12 dos concelhos a perderem residentes.

Em sentido contrário, São João da Madeira (+2,1% de residentes), Vila do Conde (+1,7%), Póvoa do Varzim (+1,4%), Valongo (+1%) e Vila Nova de Gaia (+0,6%) são os cinco municípios da AMP que registaram aumento da população.

Em Vale de Cambra, o município da AMP que, em proporção, mais população perdeu (-6,9%). Segue-se Arouca (-5,4%) e de Santo Tirso que tem menos 5,2% de população.

Porto, Maia, Espinho, Gondomar, Matosinhos, Oliveira de Azeméis, Paredes, Santa Maria da Feira, Trofa são os outros nove municípios da AMP que observaram uma diminuição na população na última década, que varia entre os -0,3% registados na Maia e os -3,5% verificados em Oliveira de Azeméis.

Porto perdeu 2,4% da população: passou de 237.591 residentes em 2011 para 231.962 em 2021.

Portugal tem 10.347.892 residentes, menos 214.286 do que em 2011, segundo os resultados preliminares dos censos 2021, divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Trata-se de uma quebra de 2% relativamente a 2011, consequência de um saldo natural negativo (-250.066 pessoas, segundo os dados provisórios).

O saldo migratório, apesar de positivo, não foi suficiente para inverter a quebra populacional, segundo o INE, que sublinha que, em termos censitários, a única década em que se verificou um decréscimo populacional foi entre 1960 e 1970.

Partilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
Subscreva a nossa Newsletter