Uso do transporte público nos 13% apesar da dinâmica entre Póvoa e Vila do Conde

Uso do transporte público nos 13% apesar da dinâmica entre Póvoa e Vila do Conde
metro

O uso do transporte público na Póvoa de Varzim e em Vila do Conde, concelhos agregados no concurso público de autocarros da Área Metropolitana do Porto (AMP), fica-se pelos 13%, apesar da grande dinâmica pendular entre os territórios.

De acordo com um documento de caracterização do sistema de transporte da AMP consultado pela Lusa, Póvoa de Varzim e Vila do Conde são dois concelhos com uma forte dinâmica interconcelhia, já que ambos são o principal destino um do outro em deslocações diárias.

Assim, das cerca de 46 mil viagens pendulares em Vila do Conde (distrito do Porto), ou seja, “deslocações de uma pessoa entre dois pontos do espaço geográfico”, normalmente residência e trabalho ou escola, 26% são para a Póvoa.

“O principal destino intermunicipal para trabalhar e estudar dos residentes de Vila do Conde é a Póvoa de Varzim (26%), seguido do Porto (22%), da Maia (15%) e de Matosinhos (13%)”, pode ler-se no documento consultado pela Lusa.

No sentido inverso, das cerca de 36 mil viagens pendulares na Póvoa de Varzim (também no distrito do Porto), 38% têm como destino Vila do Conde, sendo o concelho mais representativo, já que é “seguido do Porto, com quase 20% do total das saídas”.

No entanto, no total das deslocações pendulares, em Vila do Conde o transporte público é utilizado em apenas 13% dos casos, e na Póvoa de Varzim em 12%.

Os dados constam de uma versão provisória da “Caracterização do Sistema de Transportes em Cada Município” da AMP, feita no âmbito do concurso público para o transporte público rodoviário na região, lançado em janeiro de 2020, e que por esse motivo incluem dados dos Censos de 2011.

Partilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
Subscreva a nossa Newsletter