Portugal regista taxa de mortalidade infantil mais alta desde 2018

Portugal regista taxa de mortalidade infantil mais alta desde 2018
imagem Arquivo PM

 

 

Desde 2018 que a taxa de mortalidade infantil não era tão alta. Os números apontam para um aumento absoluto de 29 mortes em relação ao período homólogo de 2021.

De acordo com o Portal da Vigilância da Mortalidade, da Direção-Geral da Saúde, nos primeiros seis meses do ano registaram-se 119 óbitos de bebés com menos de um ano de idade. Segundo noticia o Correio da Manhã, este valor traduz-se numa taxa de mortalidade infantil de 3,1 óbitos por cada mil nados-vivos.

Em termos absolutos, registaram-se mais 29 mortes em bebés até um ano em comparação com o primeiro semestre de 2021 e mais três relativamente ao mesmo período em 2020.

No entanto, à publicação, a Direção-Geral da Saúde (DGS) refere que as taxas de mortalidade infantil registadas em 2020 e em 2021 foram as mais baixas de sempre, registando 2,43 óbitos por cada mil nascimentos, e de 2,4, respetivamente.

As autoridades de saúde estão ainda estar a monitorizar a taxa de mortalidade infantil por ano civil numa metodologia que combina a informação em séries de cinco anos porque, segundo a DGS, tal confere uma maior estabilidade e robustez ao indicador. Em 2019, o valor foi de 2,9 e em 2018 atingiu os 3,3.

O aumento da mortalidade infantil segue a tendência da subida da mortalidade geral em Portugal, com o país no topo a nível do excesso de mortalidade na Europa relativamente à média de 2016 a 2019.

Contudo, os pediatras consideram que os números não permitem uma análise, justificando que o prazo é curto para poder registar uma tendência.

Partilhar:
Subscreva a nossa Newsletter