“Percursos na Maia” irá desvendar lugares e tradição para quem andar a pé ou de bicicleta

Foto Mário Santos Câmara Municipal da Maia_edit

 

 

 

São no total 203 quilómetros de percursos pedonais e cicláveis em todas as freguesias do concelho. O projeto de “Percursos na Maia” já foi apresentado e os quatro primeiros estarão no terreno até ao final do ano.

 

“A Maia é um território para ser vivido. Este é um projeto que merece o empenho de todos, que vale a pena, porque criará um movimento orgânico em todas as freguesias”, afirmou o presidente da Câmara Municipal, António Silva Tiago, na ocasião.

 

Ao todo, são 23 percursos constituídos em rede e associados a temas como a água, moinhos, património edificado arqueológico, património natural e cultural.

 

Devido a estas caraterísticas, Silva Tiago afirmou ao Primeira Mão que este é um projeto “virtuoso” e “grandioso”, mas, salvaguarda, não é muito dispendioso. “É grandioso porque abrange todo o território do concelho e porque tem uma lógica de aproveitar lugares que já temos. Os caminhos públicos que existem pelo território vão ser identificados e colocados em aplicações informáticas possam até a partir de cada qual o percurso que pretendem realizar no seu fim de semana”, explica o autarca maiato.

Segundo Silva Tiago, “há percursos para todos os gostos e para todas as idades, mais fáceis ou mais agrestes, no fundo, é o aproveitamento de uma riqueza natural que estava esquecida”.

As vantagens não se ficam por aqui: “vamos com isto incrementar também a economia local, pois isto vai provocar desenvolvimento na restauração, gastronomia, nas tradições e artesanato. São coisas de que as pessoas gostam, incluindo eu”.

 

É um projeto “multifacetado e aglutinador”, dado que engloba várias áreas de atuação, como desporto, cultura, planeamento, ambiente e turismo.

 

“Vamos começar já a fazer as rotas este ano e dar sequência em 2022 e 2023”, acrescenta o autarca que assegura que, mesmo sem financiamentos externos o projeto vai ser executado.

“Vamos executar o projeto, que deve ultrapassar um milhão de euros. Por enquanto está apresentada candidatura a fundos comunitários da 1ª fase, mas naturalmente que se pudermos candidatar todo o projeto a outros fundos de financiamento iremos fazê-lo”.

Silva Tiago especifica que “está em curso uma candidatura através da associação Litoral Rural, que irá apoiar o projeto no âmbito da animação turística, mas podemos evoluir até ao aproveitamento de outro tipos de financiamento”.

 

Os primeiros quatro percursos – Vilar de Luz/Ribeira da Junqueira, Caminhos Rurais de Folgosa, Rota Produtos da Terra – Folgosa e Lugares do Alto Folgosa/S. Pedro Fins estarão concluídos até ao final do ano. Até ao final de 2023 estará concluído o trabalho em todos os 23 percursos.

 

 

Os 23 percursos na Maia complementam outros já existentes no concelho como o Percursos Pedonal Urbano (01 e 02), o Ecocaminho, os Caminhos de Santiago e os percursos delimitados no Parque de Avioso-S. Pedro.

 

Partilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
Subscreva a nossa Newsletter