Federação suspendeu Miguel Afonso por 35 meses e revelou mensagens às jogadoras

Federação suspendeu Miguel Afonso por 35 meses e revelou mensagens às jogadoras
Miguel Afonso

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) revelou ontem as mensagens que levaram as atletas a apresentarem denúncias por assédio sexual. Os técnicos terão pedido fotografias, enviado mensagens inapropriadas, tocado e rebaixado algumas jogadoras, segundo os relatos que constam no site da Federação.

A FPF suspendeu esta quinta-feira o treinador da equipa de futebol feminino do Famalicão e o seu diretor desportivo. Para justificar a decisão, em comunicado, o órgão que gere o futebol revelou o teor das mensagens e os comportamentos que levaram Miguel Afonso e Samuel Costa a serem afastados do futebol.

Ao Team Manager, Samuel Costa, são atribuídas expressões como “bicharada”, “são mesmo gays”, “fufalhada”, “lesbiquices” e “é tudo lésbicas” quando se referia à equipa feminina. A Federação informou também que Samuel tinha por hábito fazer comentários às jogadoras da equipa, chegando a dizer que gostaria de fazer “muito sexo oral” a uma das jovens.

Para além disso, o Team Manager ter-se-á dirigido a uma jogadora como “migalhinha”, “flop”, “lástima”, ameaçando-a: “Tiveste azar porque isto aqui não é como tu dizes, é como eu disser. Se eu disser a … vai embora, tu vais embora”.

Relativamente ao treinador, Miguel Afonso, a FPF refere que trocava mensagens e telefonava de forma insistente – “várias vezes por dia para que a jogadora lhe fizesse companhia até casa” – às jovens da equipa. De acordo com a nota da Federação, o técnico também costumava pedir fotografias do corpo às jogadoras. Miguel Afonso terá redigido as seguintes frases às atletas que orientava: “Sem vergonhas partilhas tudo comigo”; “Eu protejo-te que ninguém saberá o que falas comigo, ok?”; “Até quero ver esse à vontade”; “Refiro-me na partilha comigo e não na vontade de fazer”; “Aaaahhhh a voz é um dos meus atributos preferidos”; “Se não gostasses ou a ficar muito triste”; “A voz conta muito das pessoas”; “Ainda ficam mais giras”; “Aos poucos relaxo mais”; “Consoante as fotos forem chegando agagaga”; “Ahhaha podes enviar as fotos que quiseres”; “Ahah anseio por essa foto kkkk”; “Ahahaha pensa com carinho então na forma como me vais mostrar o antes e depois ahahah”; “Ajudo-te em tudo mas… Sempre em segredo”; “Pode criar maus ambientes ou problemas por se saber que te ajudo por aqui e mandas fotos etc… E em segredo tem mais piada”.

Entre os pedidos feitos às jogadoras, o treinador do Famalicão terá solicitado elogios à sua aparência física mesmo apesar da resistência das jogadoras.

“Tb é verdade q nunca me viste pessoalmente, e pessoalmente é que se apaixonam por mim ahahha”; “Mas a tua voz tem qq coisa q n sei explicar, juntamente à tua forma como me tratas”; “No telefonema qd te pedi para caracterizar a minha voz deste a entender q havia mais coisas ahhahaha”

E Miguel Afonso terá ido ainda mais longe com duas jogadoras. Segundo a FPF, o treinador convidou uma jogadora para cafés, comentando com a mesma que gostava da forma como se movia e como se tocava. Também terá perguntado se a mesma sentia “tesão” por si.

Num outro caso relatado pela Federação, Miguel Afonso terá tocado nas pernas de uma jogadora. Após ter sido afastado, terá ainda tentado tocar na zona das virilhas da jogadora que tinha sofrido uma lesão, ao mesmo tempo que comentava “boas coxas”, “boas pernas”.

No caso de Miguel Afonso, as denúncias de assédio remontam à altura que orientou a equipa do Rio Ave. Samuel Costa foi alvo de denúncias quando estava no Vitória de Guimarães.

A Federação Portuguesa de Futebol suspendeu Miguel Afonso por um período de 35 meses e terá que pagar uma multa de 5.100 euros. Já Samuel Costa enfrenta uma suspensão de 18 meses e uma multa de 3.060 euros.

Partilhar:
Subscreva a nossa Newsletter