Candidatada do PS à Câmara da Maia retira candidatura

Teresa Almadanim_foto de Arquivo

A candidata do Partido Socialista à Câmara Municipal da Maia Teresa Almadanim retirou a candidatura, depois de ter sido informada que a estrutura nacional do partido não confirmou o seu nome como cabeça de lista.

Teresa Almadanim emitiu um comunicado que transcrevemos na íntegra:

«Em janeiro de 2021, a convite da estrutura concelhia do Partido Socialista da Maia, disponibilizei-me para ser candidata à Câmara Municipal da Maia. Fi-lo com sentido cívico e com a certeza de que seria possível apresentar aos maiatos um projeto envolvente e participativo para a Maia que garantisse uma vitória nas Eleições Autárquicas.

Articulei todo este processo com a Concelhia do Partido Socialista da Maia e com a Federação Distrital do Porto, obtendo o apoio destas estruturas, tendo sido designada, em sede Concelhia, como candidata do Partido Socialista à Câmara Municipal da Maia.

Esta designação ocorreu depois da Federação Distrital do Porto me ter assegurado de que a Nacional do PS aprovava este projeto e tendo autorizado a realização do processo de designação.

Às estruturas Concelhia e Distrital do Partido Socialista agradeço a forma como me trataram e o acolhimento que deram às minhas ideias para o Concelho que, juntamente com aquelas que o Partido tinha em mente implementar constituíam um programa de desenvolvimento único que sempre desejei para uma terra que viu nascer os meus filhos.

Como é do conhecimento geral fomos informados de uma decisão central do Partido Socialista que leva a que não seja eu a encabeçar a candidatura do PS à Câmara Municipal da Maia nas próximas eleições autárquicas.

Sendo ou não eu a encabeçar a candidatura em causa e porque os interesses dos maiatos estão acima de qualquer interesse pessoal, informo que me afastarei, de imediato, do presente processo político autárquico, quer pelo respeito que tenho pelas estruturas dirigentes concelhia e distrital, quer pelo respeito que me merecem os milhares de militantes e simpatizantes que me dedicaram nestes últimos tempos o seu apoio, quer, ainda, pelo dever de respeitar as minhas próprias integridade e moral.
Continuo convicta de que o projeto que havíamos pensado para a Maia tinha todas as condições para ser vencedor e apenas posso desejar que os Maiatos tenham um futuro tão bom quanto aquele que aspiro para os meus filhos e para mim mesma.

Por último e porque a democracia se faz de participação, não posso deixar de apelar a que todos os Maiatos tenham uma participação exemplar nas próximas eleições autárquicas que ocorrerão, tenho a certeza, ordeiramente e depois de uma campanha que desejo esclarecedora e elevada.»

Partilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
Subscreva a nossa Newsletter