Vilela diz ser “a mudança necessária para Vila do Conde”

Vilela diz ser “a mudança necessária para Vila do Conde”

O Chega apresentou, no domingo, os cabeças de lista aos órgãos autárquicos de Vila do Conde e o programa eleitoral com que concorre às eleições de setembro.

O partido de André Ventura candidata-se à Câmara Municipal e à Assembleia Municipal e a duas Juntas de Freguesia, Touguinha / Touguinhó e Vila do Conde.

Luís Vilela, candidato a presidente da Câmara anunciou que “hoje é o primeiro dia da mudança necessária para Vila do Conde” e continuou dizendo que o Chega enfrentou “muitos obstáculos” para constituir as listas, por haver havia “pessoas amedrontadas” devido a “ameaças de despedimento de familiares que trabalham na Câmara Municipal caso aderissem à candidatura”.

A lista candidata ao município “não tem vícios políticos” e entra “de mãos limpas”, garantiu Luís Vilela, acrescentando que o partido “não convive com corrupção, não faz favores a ninguém”.

Da obra do atual executivo, Vilela admitiu “uma vénia à atual presidente, que conseguiu reduzir a dívida muitíssimo”, mas uma das convicções do candidato é que “é inadmissível” que 50% do orçamento da Câmara seja fruto dos impostos dos vilacondenses. Por isso, “propomos um alívio fiscal às famílias”.

O empresário Sérgio Gomes, candidato à Assembleia Municipal, destacou o papel dos empresários “que sustentam o concelho e o Estado”, e por isso compromete-se a “ajudar e contribuir para que as contas sejam claras e que o nosso dinheiro não seja esbanjado”.

O candidato à Junta de Freguesia de Vila do Conde é Jorge Silva, que tem como meta “não cair nas promessas eleitoralistas, como fazem alguns candidatos”.

Nesse sentido, garante “muito trabalho, com honestidade, e diz que no dia 26 o povo vilacondense irá decidir o que é melhor para eles e para Vila do Conde”.

Partilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
Subscreva a nossa Newsletter