Taxas de reciclagem na Maia atingem valores máximos no mês de junho

Foto Maiambiente

Os resultados derivam da recolha seletiva e da redução de resíduos indiferenciados.

No último mês, o concelho maiato registou uma taxa de 38,6% no que diz respeito à reciclagem. No acumulado do semestre, o valor registado é de 36,8%. Segundo a Maiambiente, estes resultados são originados pelo aumento da recolha seletiva e pela redução dos resíduos indiferenciados, importante indicador para as metas de prevenção.
“Considerando os valores médios separados por habitante nas frações papel, embalagens e vidro, o indicador de Retoma de Recolha Seletiva é muito expressivo, com registo de 82kg/hab.ano, o mais elevado entre os valores conhecidos” refere a empresa maiata, em comunicado de imprensa.

Dos resultados obtidos, o destaque vai para os resíduos alimentares, que cresceram 68%, com uma recolha superior a 1.300 toneladas, representando, atualmente, 12% do total de resíduos recolhidos separadamente. Também os resíduos têxteis e o vidro plano registaram crescimentos significativos face ao ano anterior, de 11,6% e 12,1%, respetivamente.
A Maiambiente acrescenta ainda que, no que concerne à recolha seletiva de resíduos de jardim, estes passaram a representar 10% dos resíduos recolhidos seletivamente, um resultado que a Maiambiente pretende aumentar já no segundo semestre. Nesse sentido, lançou neste mês de julho um projeto piloto de recolha seletiva porta-a-porta de resíduos de jardim, com a distribuição de sacos reutilizáveis (minibag) para seu acondicionamento e posterior entrega para recolha, abrangendo as urbanizações do Novo Rumo, Nosso Jardim, Chantre, Lidador e Nortecoope. Através deste piloto, a Maiambiente irá aferir a adesão da população a este serviço, de modo a que, posteriormente, seja equacionada a sua viabilidade e eventual alargamento a outras áreas do concelho.

No que respeita às emissões, que resultam do consumo de combustíveis fósseis, destaque para o reforço da frota alimentada a gás natural comprimido e, portanto, menos poluente, assim como a compensação de todas as emissões de carbono, da frota alimentada a diesel, cada vez menos representativa.
Ainda de acordo com a Maiambiente «os números alcançados são o resultado do trabalho exemplar da nossa empresa municipal, no incremento das melhores práticas de recolha seletiva e tratamento dos resíduos, facto que tem vindo a confirmar, cada vez mais, o seu reconhecimento a nível nacional e internacional como uma empresa de referência neste setor, em simultâneo com o empenho dos Maiatos nos últimos anos no que toca à reciclagem e em contribuir para o cumprimento do desígnio estabelecido pela Câmara Municipal da Maia de alcançar sustentabilidade integral no território concelhio».

 

Região norte e Madeira com as maiores quebras de natalidade em 2021

Partilhar:
Subscreva a nossa Newsletter