Produtores de leite querem levantar o “esmagamento de preços” a que estão sujeitos

A Associação dos Produtores de Leite de Portugal (APROLEP) diz-se asfixiada por 20 anos sem atualização do preço pago ao produtor e defende um entendimento para passar a receber 38 cêntimos por litro, disse o presidente da associação em comunicado.
Cerca de uma “centena de tratores” vai circular esta quarta-feira, dia 25, entre as 10:00 e a 13:30, de Ribeirão ao centro da Trofa, num protesto que passará em frente às principais grandes superfícies comerciais, alertando desta forma “para a necessidade de aumentar o preço ao produtor”, sublinha Jorge Oliveira.
Lembrando a reivindicação que tem sido feita “desde o final de 2020, depois de os custos terem aumentado cerca de 30%”, situação que deixou os produtores “em grandes dificuldades”, o responsável da APROLEP adianta que a solução passa por um “entendimento com as distribuidoras”.
“A indústria diz que a única solução é que o preço do leite mais barato terá de aumentar, bem como acabar com as promoções, conclusão a que também chegámos”, concordou Jorge Oliveira.
Ao produtor é “pago cerca de 32,5 cêntimos, sem IVA, por litro de leite” enquanto as grandes superfícies “vendem a 43 cêntimos, mais IVA”.
Este dirigente pede respostas rápidas para um setor “esmagados” pelos preços que praticam as grandes superfícies. É que, explica, “há 20 anos que não há uma atualização enquanto todas as outras bebidas têm tido uma linha de subida de preços”.
Partilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
Subscreva a nossa Newsletter