Maiambiente e Cooperativa Agrícola assinam protocolo para gerir resíduos agrícolas

foto: Maiambiente

A Maiambiente disponibiliza um espaço nos Ecocentros municipais para a recolha seletiva de plásticos agrícolas. A medida consta de um protocolo assinado pela Maiambiente e pela Cooperativa Agrícola da Maia.

 

A Entidade Gestora de Resíduos do Município da Maia, Maiambiente, e a Cooperativa Agrícola da Maia assinaram um protocolo de cooperação para a gestão de plásticos agrícolas. O propósito deste compromisso estratégico é melhorar a gestão ambiental dos resíduos de plásticos agrícolas produzidos em larga escala, disponibilizando um espaço nos Ecocentros do Município da Maia para esta recolha seletiva.

Para tal, a Maiambiente compromete-se a disponibilizar um equipamento para a receção, deposição e acondicionamento dos resíduos de plásticos agrícolas nos Ecocentros, definir tipologias de resíduos admissíveis e encaminhar os resíduos de plásticos agrícolas para um operador de gestão de resíduos licenciado. Mas como só com um esforço coletivo e alinhado é que se pode contribuir para um aumento da literacia ambiental dos cidadãos, a Cooperativa Agrícola da Maia compromete-se a sensibilizar os seus associados, nomeadamente quanto às tipologias de resíduos de plástico agrícola admissíveis, bem como as respetivas condições para a entrega no local disponibilizado.

 

Paulo Ramalho, presidente do Conselho de Administração da Maiambiente, reforça que a missão da empresa passa pelo esforço coletivo “para encontrar soluções para aquilo que são os problemas que vão surgindo no território relacionados com a gestão de resíduos.” Reforçando que “o nosso foco são, essencialmente, os resíduos sólidos urbanos, mas não significa que não damos resposta a soluções concretas que fogem daquilo que é a nossa missão principal. Sendo este um desses casos, vamos, naturalmente, encará-lo como um novo desafio e procurar concretizar a resolução de mais este problema. No caso concreto, em parceria com a Cooperativa Agrícola da Maia”.

 

Para dar resposta a este desafio, a Maiambiente vai disponibilizar, no Ecocentro de Folgosa, um espaço para estes resíduos de plásticos agrícolas, mas prevê-se que, no futuro, também seja possível fazer esta deposição no Ecocentro de Moreira.

 

Para António Lopes, presidente do Conselho de Administração da Cooperativa Agrícola da Maia, a resolução deste problema ambiental vai beneficiar “os produtores que vão deixar de estar com os resíduos de plásticos amontoados, que muitas vezes são enterrados ou queimados, e vão passar a ter um ponto definido para a entrega.”

 

Presentes na cerimónia protocolar estiveram ainda a vereadora da Câmara Municipal da Maia e membro do Conselho de Administração da Maiambiente, Marta Peneda, o administrador-delegado da Lipor e membro do Conselho de Administração da Maiambiente, Fernando Leite, o diretor geral da Maiambiente, Carlos Mendes, e o vice presidente da Cooperativa, José de Sousa Dias, que ambicionam o desenvolvimento de uma palestra para esclarecimento de eventuais questões que possam surgir por parte dos produtores quanto às tipologias de resíduos de plásticos agrícolas admissíveis.

Um compromisso que demonstra que a Maia está uma vez mais alinhada com os objetivos de desenvolvimento sustentável, reforçando a sua posição de referência ao nível da gestão de resíduos.

Partilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
Subscreva a nossa Newsletter