Filipa Martins oitava em paralelas assimétricas nos Mundiais de ginástica artística

foto Facebook de Filipa Martins

A portuguesa Filipa Martins foi, no sábado, oitava classificada no concurso de paralelas assimétricas dos Mundiais de ginástica artística de 2021, que decorreu em Kitakyushu, no Japão, após ter feito história, ao terminar em sétimo lugar no concurso completo.

Filipa Martins, de 25 anos, somou 14.066 pontos, numa competição em que a chinesa Wei Xiaoyuan conquistou a medalha de ouro, ao totalizar 14.733 pontos, impondo-se à brasileira Rebeca Andrade e à compatriota Luo Rui, ambas com 14.633, segunda e terceiras classificadas, respetivamente.

A ginasta do Acro Clube da Maia, que terminou em 17.º lugar em paralelas assimétricas nos Jogos Olímpicos Tóquio2020, foi a primeira portuguesa a participar numa final por aparelhos em Mundiais de ginástica artística, dois dias após ter conquistado um diploma no concurso completo.

O sétimo lugar alcançado na quinta-feira no ‘all around’ do Mundial de Kitakyushu constituiu o melhor resultado de sempre da ginástica portuguesa e superou por larga margem o melhor registo na competição de Filipa Martins (16.ª posição em 2014, em Nanning, na China).

No sábado, a ginasta portuguesa terminou na oitava e última posição na final de paralelas assimétricas, a mesma que alcançou na qualificação – na qual foi a derradeira atleta a ser apurada para a discussão das medalhas -, mas piorou ligeiramente o resultado que tinha obtido, de 14.133 pontos.

 

Filipa Martins, a cumprir a sétima participação em Mundiais, tendo ainda duas presenças em Jogos Olímpicos (2016 e 2020), era a mais velha entre as oito finalistas em competição, que decorreu até ontem, já sem participantes lusos.
Portugal esteve representado nos Mundiais de 2021 por seis ginastas (três no setor masculino e três no feminino), dos quais quatro estreantes, tendo Filipa Martins sido a única a garantir presença em finais.

Partilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
Subscreva a nossa Newsletter