“Está na hora de dizer chega…Vila do Conde é uma terra estagnada”, acusa Rui Saavedra, candidato do IL (com Podcast)

 

Rui Saavedra, 59 anos, docente do ensino superior, é o candidato da Iniciativa Liberal à Câmara Municipal de Vila do Conde.

Uma estreia, do candidato “de convicções muito fortes” na política e uma estreia do IL em Vila do Conde.

 

Honrado com o convite, hesitou porque “ser político está, infelizmente, conotado com coisas que não são propriamente abonatórias” e o que o levou a aceitar foi a possibilidade de se apresentar como independente e “por não ter experiência política, ver nisso uma oportunidade, porque sou apenas o rosto de uma equipa de trabalho, pessoas que trabalham como formiguinhas”, conta Rui Saavedra que agora se sente na obrigação de responder corresponder com um bom trabalho.

Para já, agrada-lhe a possibilidade porque, tal como o IL, considera que o estado deve ser “menos estado” e que é importante “o indivíduo ser decisor em causa própria”. Identifica-se com a essência do partido, “uma mudança de paradigma no papel do estado como um prestador de serviços para um financiador de serviços.” que permita às pessoas escolhas próprias a começar com a saúde, para que possam tratar-se no hospital que preferirem.

A IL “é um partido que pretende diminuir as gorduras do estado e transferi-las para o bolso dos contribuintes”.

 

Mais sorrisos, menos impostos e mais autarquia para Vila do Conde

“Está na hora de dizer chega...Vila do Conde é uma terra estagnada”, acusa Rui Saavedra, candidato do IL (com Podcast)

Em Vila do Conde a campanha assenta em três ideias fundamentais: mais sorrisos, menos impostos e mais autarquia.

O candidato do IL acredita que se conseguem mais sorrisos se, por exemplo, o Hospital do Bonfim, privado, for disponibilizado a todos; se todas as crianças tiverem a acesso a uma boa educação – o IL promete entregar um cheque educação a todas as crianças com menos de quatro anos de idade – e mais cultura por todo o concelho.

“A Câmara de Vila do Conde cobra o valor máximo de taxa Derrama (1,5%), retém 5% de IRS”, acusa Rui Saavedra que quer devolver esse dinheiro aos munícipes “acabar com a taxa de derrama e devolver os 5% de IRS”. Sobre o IMI, o IL quer descer a taxa até 0,3% e reconhece que “atualmente já está nos 0,33% e nem tudo é mau na Câmara de Vila do Conde”.

Rui Saavedra diz não estra contra ninguém, nem a fazer política por fazer, “estamos a levantar problemas e a tentar resolver”.

“Uma autarquia transparente dá resposta a quem pede”

Uma autarquia mais eficiente e transparente é o terceiro ponto de agenda para tentar combater a abstenção e o afastamento das pessoas da política, “porque se as pessoas se identificarem com os políticos e se vir em que é possível fazer política de forma diferente, vão indentificar-se estar mais perto”.

 

O partido quer um portal da transparência porque nem tudo é revelado, diz Rui Saavedra que pediu à autarquia o contrato e os aditamentos ao contrato da concessão da água à Indaqua. “Nós queremos renegociar este contrato mas, ao contrário do candidato do PSD que garante que vai diminuir o custo da água em 35%, nós não temos esta meta, sabemos que alguma coisa faz com que a Indaqua tenha uma taxação em Vila do Conde acima de todas as outras…”, explica o candidato do Iniciativa Liberal defendendo que esta informação seja pública. “Uma autarquia transparente dá resposta a quem pede”.

Um portal do munícipe é outra promessa do IL para que as pessoas possam acompanhar, por exemplo, um processo seu que esteja para aprovação “não faz sentido que haja a sensação de que uns projetos são tratados de uma forma e outros de outra, não acredito que aconteça, mas a sensação existe”, alerta Rui Saavedra.

“Vila do Conde precisa de virar o leme….está há cerca de 50 anos governada pelo PS ou por gente dissidente do PS”

O IL em Vila do Conde é um partido de gente que se está a iniciar na política e o candidato à Câmara quis deixar claro que é, aos 59 anos, uma pessoa realizada pessoal e profissionalmente “não vim para a política atrás seja do que seja, profissionalmente considero-me bem sucedido, faço o que gosto e ainda me pagam por isso…a política vem dar-me uma dor de cabeça…só pode ser por um ideal e não para fazer carreira”.

Posto isto, a IL está disposta a mudar Vila do Conde e, com um mês de existência, o núcleo vilacondense diz que “Vila do Conde precisa de mudar o leme….está há cerca de 50 anos governada pelo PS ou por gente dissidente do PS”.

Rui Saavedra insiste que “está na hora de dizer chega”, que Vila do Conde “é uma terra estagnada” e, embora ache significativo haver tantas listas candidatas a estas autárquicas de 2021, diz que não adiantará nada, se as pessoas não quiserem mudar.

 

 

Entrevista na íntegra (áudio:):
Partilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
Subscreva a nossa Newsletter