Costa em Vila do Conde: Voto das pessoas serve para definir “o que é que os Governos querem fazer”

Primeiro-ministro infetado com Covid-19
António Costa / Foto Lusa

As maiorias ou minorias é o fruto do voto das pessoas, o que é importante é o voto das pessoas e o voto das pessoas serve para quê? Para o que é que os Governos querem fazer”, afirmou António Costa, este domingo, em Vila do Conde.

O secretário-geral socialista falava aos jornalistas durante uma arruada em Caxinas, Vila do Conde, onde foi recebido por centenas de simpatizantes, com abraços, beijinhos, agradecimentos pelo trabalho que fez, e muitas promessas de voto.

Na arruada mais participada desde o início da campanha, o secretário-geral do PS disse aos jornalistas que considera que “a campanha do PS tem vindo num crescendo ao longo de toda a semana, e isso revela o crescendo de força que esta campanha tem vindo a dar ao PS e à proposta do PS”.

Interrogado ainda se fecha completamente a porta a um cargo europeu nos próximos quatro anos, o também primeiro-ministro respondeu: “O que é que estamos a discutir em Bruxelas, quando o que se está a discutir é o que é que no próximo fim de semana os portugueses no vão decidir para Portugal e cá estou eu. Eu nunca virei as costas ao país nos momentos mais difíceis e não estou aqui a virar as costas ao país, estou aqui a lutar. Há umas pessoas que dizem que eu estou cansado, eu não estou cansado, estou cheio de energia para continuar a dar o combate que é necessário dar”.

Durante a arruada, António Costa foi acompanhado pelo presidente da Câmara Municipal, Vítor Costa, pelo líder da Federação do Porto do PS, Manuel Pizarro, tendo também, a meio da arruada, sido acompanhado pelo ministro do Ambiente, João Matos Fernandes.

Partilhar:
Subscreva a nossa Newsletter