Castelo da Maia e Cidade da Maia com propostas de executivos chumbados pela oposição nas assembleias de freguesia

Das 4 Juntas sem maioria absoluta no concelho da Maia há duas que ainda não chegaram a acordo quanto à formação do executivo. As assembleias de Freguesia da Cidade da Maia e do Castelo da Maia ainda não chegaram a um consenso de forma a aprovar a formação do executivo.

Pedrouços (Maia em Primeiro) e Águas Santas (PS) já estabeleceram acordos que levaram a que as assembleias de freguesia aprovassem os respetivos executivos, enquanto no Castelo da Maia e Cidade da Maia, Maia em Primeiro ainda tem que desbravar acordos com a oposição.

As propostas de executivos de Manuel Azenha, no Castelo da Maia, e a de Olga Freire, na Cidade da Maia, foram chumbadas pelos eleitos, dado que estes cabeças de lista pela coligação Maia em Primeiro (PSD/CDS-PP) não conquistaram a maioria absoluta, nas últimas eleições Autárquicas.

No Castelo da Maia, um conjunto de seis mandatos de Maia em Primeiro viu a sua proposta de executivo da Junta rejeitada pela oposição, que detém 5 mandatos do PS e outros 2 do independente (e demissionário do PS) Fernando Ferreira.

Também na Cidade da Maia, a falta de maioria absoluta de Maia em Primeiro (9 elementos contra 6 do PS + 1 BE + 1 PAN + 1 CDU + 1 CH) dificultou a formação do executivo, tendo a proposta apresentada por Olga Freire, vencedora das eleições Autárquicas, sido reprovada na Assembleia de Freguesia.

Já em Pedrouços, a oposição (3 elementos do PS + 3 independentes do movimento Hugo Salgueiro + 1 da CDU) viabilizou o executivo liderado por Isabel Carvalho, eleita pela Maia em Primeiro elegeu 6 mandatos).

Neste caso, houve um acordo de lugares para a Mesa da Assembleia de Freguesia, ficando a presidência para Rui Aragão (eleito pelo PS), o lugar de 1º secretário para o independente (Movimento Hugo Salgueiro) Carlos Pomar e o cargo de 2º secretário para Sandra Abreu (coligação Maia em Primeiro).

Na Assembleia de Freguesia de Águas Santas, conquistada por Miguel dos Santos do PS, o executivo proposto à Assembleia de Freguesia inclui um elemento do BE, o cabeça de lista nas eleições João Sousa, o que possibilitou a sua viabilização.

O acordo com o PS, que venceu as eleições em Águas Santas sem maioria absoluta – a oposição é composta por 7 elementos Maia em Primeiro + 1 BE + 1 CDU + 1 CH -, englobou também a cedência de um lugar na Assembleia de Freguesia para a nº 2 da lista do BE, Cátia Oliveira.

Partilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
Subscreva a nossa Newsletter