Câmara da Maia ocupa o 3º lugar nacional em eficiência financeira global

Foto: A Santos

As contas do Município são referência a nível nacional de boas práticas, de acordo com dados do Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses 2020, que coloca a Maia em 3ª posição no país.

No contexto geográfico do distrito do Porto, a Maia assume claramente a liderança, obtendo 197 dos 200 pontos possíveis para avaliar este ‘ranking’ a nível regional, ocupando aí o 1º lugar.

Segundo o “Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses – 2020”, recentemente publicado pela Ordem dos Contabilistas Certificados (OCC), o Município da Maia surge destacado em 3º lugar, a nível nacional, em matéria de eficiência financeira global. Mas no contexto geográfico do distrito do Porto, a Maia assume claramente a liderança, obtendo 197 dos 200 pontos possíveis para avaliar este ranking a nível regional, ocupando aí o 1º lugar.

No cômputo dos “20 municípios com melhor Resultado Operacional”, destaca-se a Maia, na 4ª posição, com 41,3% de resultado Operacional /Proveitos Operacionais.

Em relação aos municípios com “maior volume de investimento pago” no ano transato, a Maia também se destaca na 16ª posição com 16 476 154 euros, representando 21,8% e com “maior volume de orçamento inicial”, em 21ª posição com 98 187 913 (11,5%).

No que respeita à “descida do passivo exigível superior a 5 milhões de euros”, a Maia, com (-5,5 milhões), salienta-se ao lado dos 5 outros municípios que cumprem esse critério.

Dos municípios com “maiores resultados económicos líquidos” em 2020, evidencia-se a Maia, na 4ª posição, com 810 344 186 euros.

Entre as “entidades do setor empresarial local, realça-se a  ESPAÇO MUNICIPAL- Renovação Urbana e Gestão do Património Maia, com 1 374 216 euros, com uma diferença de 817 205, em relação ao ano anterior, figurando nas “entidades empresariais com variação positiva superior a 500 mil euros em clientes, contribuintes e utentes”, em 2020.

Por seu lado, a MAIAMBIENTE, “entidade empresarial que se apresenta com variações positivas superiores a 1 milhão de euros em Outras contas a receber” em 2020, com 2 908 431 euros, com uma diferença de 1 176 597 euros.

No âmbito dos serviços municipalizados que lograram alcançar uma diminuição no passivo exigível abaixo dos 50%, destaca-se a boa performance dos SMEAS da Maia (-60,3%), ficando estes em 17º lugar a nível nacional, com 5 451 515 (– 60,3%). Os SMEAS da Maia, surgem com “Resultados económicos positivos” de 801 545 euros, apresentando variação com 2019, (- 38,2%).

É ainda de sublinhar que dos 308 municípios portugueses, nos “20 com melhor Grau de execução da despesa relativamente aos compromissos assumidos”, a Maia ocupa a 15ª posição, com 135,7%, (- 186 pontos) em 200 possíveis.

O “Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses – 2020” é publicado pela Ordem dos Contabilistas Certificados (OCC), num trabalho de compilação e análise, elaborado em cooperação técnico-científica por um conjunto de entidades independentes que inclui o Centro de Investigação em Contabilidade e Fiscalidade do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), do Centro de Investigação em Ciência Política da Universidade do Minho, contando com o apoio institucional da OCC e do Tribunal de Contas.

Partilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
Subscreva a nossa Newsletter