Anselmo Borges na Maia no dia das Cidades pela Vida Contra a Pena de Morte

Anselmo Borges_foto CMM Mário Santos

Anselmo Borges, padre e Professor de Filosofia, esteve na Maia no dia 30 de novembro para salientar a importância de se conhecer a declaração universal dos Direitos Humanos.

O orador foi convidado pela autarquia para assinalar, com a conferência “Liberdade, Democracia e Direitos Humanos face à globalização”, o Dia das Cidades pela Vida Contra a Pena de Morte.

Aquele que é um dos mais eloquentes pensadores portugueses da atualidade, Anselmo Borges, aludiu à importância da declaração universal dos Direitos Humanos, sublinhando o direito à vida como um direito inviolável.

Anselmo Borges expressou também os argumentos ético-filosóficos e teológicos contra a pena de morte ou mesmo contra a prisão perpétua, na perspetiva de que “mesmo quando é necessário aplicar a Justiça e atribuir qualquer pena, tal tem de aportar Esperança…”

O orador sublinhou ainda a relevância de se conhecer a declaração universal dos Deveres Humanos, lembrando a responsabilidade ética e cívica de cada pessoa “de respeitar a dignidade do outro e ser garante dos direitos do próximo”.

A conferência foi seguida de um animado debate com o público, moderado pelo jornalista do JN, Paulo Ferreira. De referir que na sua intervenção de boas vindas, o presidente da Câmara Municipal da Maia, António Silva Tiago, salientou que “o combate pelos Direitos Humanos também tem de se continuar a travar a nível local, cuidando de resolver os problemas das desigualdades e da pobreza, da discriminação, seja lá porque razões for, da violência familiar ou doméstica, entre outros sinais de atraso civilizacional.”

Este evento realizou-se no dia em que se completava o 4º aniversário da adesão do Município da Maia ao Pacto das Cidades pela Vida Contra a Pena de Morte, outorgado a 30 de novembro de 2017, pelo presidente da Câmara da Maia, António Silva Tiago.

Partilhar:
  •  
  •  
  •  
  •  
Subscreva a nossa Newsletter